Registrar | Login | Busca:
 
 
Sinônimos de tipos de conteúdo | Mais visitados |  

Home » Conteúdo » Gerenciamento de Projetos
 
 
GERENCIAMENTO DE PROJETOS
 
 
  • Visitas: 8567
    • Currently 3/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
  • Nota: 3/5 (1853 votos)
Melhores Práticas
Gerenciamento de Projetos
Criado por PDPNet Knowledge Network ( NUMA / USP ) em 20 de Janeiro de 2009 - 15:15.
Sumário:
Descrição:

Introdução

O mundo corrente apresenta elevado grau de competição, de mudanças, de adaptações constantes. Dentro deste contexto, os projetos vêm assumindo um papel relevante dentro das organizações. A administração participativa faz com que os projetos devam ser executados por equipes integradas, para que todas as tarefas sejam executadas com eficácia e eficiência. Para atender a estes requisitos e obter sucesso, as empresas vêm adotando a prática do Gerenciamento de Projetos.

Definições

Projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são alocados os insumos necessários para, em um dado prazo, atingir um objetivo .Sendo este objetivo geralmente especificado em termos de custos, tempo e desempenho. Um projeto é único, tem objetivos definidos e mensuráveis e tem um ciclo de vida.

O Gerenciamento de Projetos (GP) oferece uma visão integrada de todos os fatores envolvidos em um projeto para que sejam atingidos os objetivos assumidos. Tem um enfoque humanístico e participativo, orientado para a obtenção de resultados, com a premissa de que os resultados são atingidos por meio do trabalho de pessoas. O GP compreende a concepção de metas e objetivos do projeto, a elaboração de um plano, a execução do plano e a revisão e controle do projeto. Por fim, o GP oferece uma grande variedade de princípios, procedimentos, habilidades, ferramentas e técnicas que são necessários para que possam atingir os objetivos previamente planejados.

Ciclo de Vida do Projeto

Para que se tenha um melhor controle do projeto e se crie interdependência entre as atividades, dividem-se os projetos em algumas fases, constituindo o chamado ciclo de vida do projeto. O ciclo de vida do projeto define quais técnicas de trabalho serão utilizadas em cada fase e quais pessoas estarão envolvidas em cada fase.

Cada fase do projeto é caracterizada por um completar um ou mais “marcos”. Os marcos são resultados de trabalhos que podem ser verificados e medidos, por exemplo, um estudo de viabilidade ou a elaboração de um protótipo. A conclusão de uma fase do projeto é caracterizada pela revisão dos trabalhos e dos padrões de desempenhos, para determinar se o projeto terá continuidade e detectar e corrigir os desvios.

Existem diferentes versões para o ciclo, desde que as que contêm poucas fases até aqueles que contém mais de uma dezena, dependendo do que se considera como uma fase distinta ou um componente delas. Além disso, depende do tipo de projeto e da complexidade envolvida, o que gera a necessidade de um detalhamento minucioso das fases do projeto.

Processos de um Projeto

Os processos de gerenciamento de projetos descrevem e organizam o trabalho do projeto. Eles são aplicáveis à maioria dos projetos durante todas as suas fases.Os processos podem ser divididos em:

  • i. Processo inicial, é o início do projeto ou de uma fase.
  • ii. Processo de planejamento, onde se planeja organiza o trabalho para cumprir as necessidades do projeto ou da fase.
  • iii. Processo de execução, onde os trabalhos são executados.
  • iv. Processo de controle, que tem por objetivo ajustar o realizado, durante a execução, com o planejado.
  • v. Processo de encerramento, onde o projeto ou fase é aprovado formalmente, e então encerram-se as atividades, realocando-se os recursos.

Áreas de conhecimento de GP

Segundo o PMBOK (Project Management Body of Knowledge), o GP pode ser classificado em 9 áreas de conhecimento:

  • i. Gestão de integração. Esta área inclui os processos necessários para assegurar que os elementos de projeto estão coordenados apropriadamente.
  • ii. Gestão do escopo. Inclui todos os processos necessários para garantir que o projeto contém todo o trabalho necessário, e somente o trabalho necessário, para completar o projeto com sucesso.
  • iii. Gestão de prazos. São os processos necessários para assegurar a conclusão dos trabalhos no prazo planejado.
  • iv. Gestão de custo. Inclui os processos necessários para assegurar que o projeto será completado com as metas de custo e orçamento planejados.
  • v. Gestão da qualidade. Contém os processos necessários para assegurar satisfazer as necessidades empreendidas no projeto.
  • vi. Gestão de recursos humanos. Consiste em otimizar a utilização dos recursos humanos envolvidos no projeto.
  • vii. Gestão de documentação técnica. Contém os processos necessários para assegurar a geração, coleta, disseminação, armazenamento e disponibilização das informações no prazo certo e com acuracidade.
  • viii. Gestão de riscos. Inclui os processos para identificar, analisar e responder pelo risco do projeto.
  • ix. Gestão de aquisições. Inclui os processos para aquisição de recursos e serviços de terceiros.

Gerenciamento de Projetos em Desenvolvimento de Produtos

O processo de desenvolvimento de produto compreende várias fases e suas atividades e utiliza diversos recursos, sendo realizado por uma organização específica (muitas vezes também transitória). Conforme o autor e o tipo de empresa/produto essas fases e atividades correspondentes recebem diversas denominações diferentes (conceituação, projeto, detalhamento, processo, homologação, por exemplo).

Assim, o processo de desenvolvimento de produtos pode ser encarado como um projeto amplo e complexo, sendo portantanto factível de ser gerenciado.O gerenciamento de projetos é uma ferramenta para atingir rapidez, eficiência e baixos custos em desenvolvimento de produto. Neste processo, o GP deve conciliar e otimizar a utilização dos recursos (tempo, custo, pessoas, equipamentos etc), coordenando e integrando todas as atividades, recursos e pessoas pertinentes a um projeto, para que sejam atingidos os seus objetivos.

Alguns aspectos devem ser observados, como a integração entre o gerente e sua equipe, a delegação de autoridade no projeto, a incorporação de fornecedores, clientes e contratados em uma única equipe etc assim como a qualidade, o controle, a documentação e os riscos. Todo o projeto deve ser estudado, organizado e executado com a total visão do ciclo de vida do projeto e também do produto, visando a manutenção e serviços associados.

Consultar também modelos de referência de desenvolvimento de produtos e conceitos de engenharia simultânea.

Ferramentas Específicas utilizadas em GP

WBS. Working Breakdown Structure é uma forma de apresentação do projeto que o explicita em suas partes físicas, em softwares, serviços e outros tipos de trabalho, a qual organiza, define e graficamente mostra tanto o produto a ser feito como o trabalho a ser realizado para obtê-lo. Pode ser considerado como a espinha dorsal de todo o projeto. A WBS consiste em uma criteriosa decomposição tanto do produto como dos processos para obtê-lo, bem como das tarefas administrativas e/ou gerenciais necessárias. Ele pode ser representada como uma árvore, em forma de um organograma, ou como uma relação ou tabela.

Redes de Precedência. Uma vez definidas as atividades do projeto e suas respectivas durações deve-se empreender a montagem destas atividades em um sequência temporal, de maneira racional, exequível e eficiente, de forma a dispô-las na melhor ordem para o projeto. Esta montagem deve obedecer à restrições de precedência, conflito de recursos, fluxos de recursos e janelas de oportunidades. Existem diversas técnicas para elaboração destas redes como PERT, P-PERT, PERT-Custo, GERT, CPM, PDM e Corrente Crítica.

C/SCSC. Cost / Schedule Control Systems Criteria é uma metodologia que exerce o controle integrado de custos, prazos e do trabalho efetivamente realizado no decorrer de um projeto. Caracteriza-se por prover os gerentes com dados precisos para monitorar seus projetos e por prover uma adequada base de dados que indicam o progresso do trabalho; por relacionar custos, prazos e trabalho técnico; por permitir levantar tendências de evolução de custos e prazos. São analisadas em uma mesma base (custos) a variação de prazos e de custos para que se possa determinar as causas das variações e corrigi-las e também para obter estimativas precisas sobre o resultado final do projeto.
Corrente Crítica. Corrente Crítica é uma nova abordagem para gerenciamento de projetos, voltado para a administração de prazos e atividades, baseado na teoria das restrições (TOC). Atua na quebra dos paradigmas de que todo projeto atrasa e estoura no orçamento. Oferece novas métodos de estimativas de tempo, de enfoque de tarefas, de monitoração do projeto, de viabilidade econômica e de formação da rede de precedência. A rede de precedência é formada obecendo às restrições de tempo e recursos, sendo a corrente crítica a seqüência na qual não pode ocorrer nenhum atraso em nenhuma atividade, devendo ser priorizada na administração de tarefas. Para evitar os atrasos, esta seqüência é protegida por reservas chamadas "pulmões", tanto de recursos como de tempo. O projeto é protegido por um "pulmão de projeto". Para diversos projetos que utilizam o mesmo recurso, este é considerado como a primeira restrição, sendo protegido também pelo "pulmão de gargalo". Esta metodologia vem revolucionando o GP, atingindo como resultado final redução do tempo de desenvolvimento em de 20 a 50 %, além de manter o escopo e orçamento planejados.

Livros

DUNCAN, W. R.; & PMI STANDARDS COMMITTEE. (1996). Project management body of knowledge. Pennsylvania: Project Management Institute Publications.

GOLDRATT, A. Y. (1997). Corrente crítica. Trad. Thomas Corbett Neto. São Paulo: Nobel. ( Disponível na biblioteca da EESC -USP)

MEREDITH, J. R.; MANTEL JR, S. J. (1995). Project management: a managerial approach. New York: Wiley. 3ª edição. ( Disponível na biblioteca da FEA - USP)

NICHOLAS, J. M. (1990). Managing business & engineering project: concepts & implementation. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall. (Disponível na FEA - USP)
VALERIANO , D. L. (1998). Gerência em projetos: pesquisa, desenvolvimento e engenharia. São Paulo: Makron Books. ( t: 786 ). ( Disponível na EESC - USP )

Associações

Project Management Institute (PMI).
http://www.pmi.org
Este site contém informações sobre o PMI, assim como informações sobre seminários, compra de livros, grupos de discussão, empregos e links. O PMI trata de GP de maneira integrada, aplicada em todas as áreas de atuação e conhecimento.

PMI Minas Gerais - Brasil
http://www.pmimg.org.br

PMI São Paulo - Brasil
http://www.fea.usp.br/Programas/pmi-sp/index.htm

Sites Relacionados

The Project Management Forum
http://www.pmforum.org/warindex.htm
O PM Forum é um site voltado ao GP integrado, contendo artigos,estudos de caso, lista de periódicos, corpo de conhecimento (Body of Knowledge) e links para associações profissionais.

NASA Polity Directive
http://nodis.hq.nasa.gov/Library/Directives/NASA-WIDE/Policies/Program_Formulation/N_PD_7120_4A.html

http://nodis.hq.nasa.gov/Library/Directives/NASA-WIDE/Procedures/Program_Formulation/N_PG_7120_5A.html
O primeiro site contém as diretrizes da NASA para GP e o segundo é um guia que rege as normas de procedimento e acão em GP, para os projetos da agência.
Department of Defense Handbook - Working Breakdown Structure
http://www.acq.osd.mil/pm/newpolicy/wbs/mil_hdbk_881/mil_hdbk_881.htm
Este site contém o manual de WBS do Departamento de Defesa dos EUA. São dadas explicações conceituais e de desenvolvimento de uma WBS, baseado na norma MIL-HDBK-881.

Configuration Management Yellow Pages
http://www.cs.colorado.edu/users/andre/configuration_management.html
Esta página mantém atualizada uma lista de sites sobre o Gestão de Configuração, relacionando artigos, trabalhos, empregos, conferências e softwares.

Palavras-chave: Gerenciamento de Projetos
Nó: 9944

Conhecimentos relacionados Um Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos
Corrente Crítica
Além da eficiência e eficácia: O gestor de projetos e sua efetividade


Comentários

Log in ou crie uma conta de usuário para comentar.

        

 
 
Copyright © 2007 Portal de Conhecimentos