Registrar | Login | Busca:
 
 
Sinônimos de tipos de conteúdo | Mais visitados |  

Home » Conteúdo » DFMA(Design for Manufaturing and Asse...
 
 
DFMA(DESIGN FOR MANUFATURING AND ASSEMBLY)
 
 
  • Visitas: 17351
    • Currently 3/5 Stars.
    • 1
    • 2
    • 3
    • 4
    • 5
  • Nota: 3/5 (1967 votos)
Melhores Práticas
DFMA(Design for Manufaturing and Assembly)
Criado por sayuri tahara ( USP - NUMA ) em 17 de Dezembro de 2008 - 10:34.
Atualizado por sayuri tahara ( USP - NUMA ) em 17 de Dezembro de 2008 - 10:38.
Sumário:
Descrição:

Definição

Segundo BOOTHROYD e DEWHURST (1988), Design for Manufacture, DFM, significa diferentes coisas para diferentes pessoas... A chave para o sucesso da aplicação de DFM é a simplificação da manufatura do produto. Enquanto que as técnicas de DFA primeiramente objetivam a simplificação da forma do produto, assim os custos com a montagem são reduzidos.

Assim, temos que DFMA é uma filosofia que se utiliza de diversos conceitos, técnicas, ferramentas e métodos para aperfeiçoar a fabricação de componentes ou simplificar a montagem de produtos, utilizando para tal desde a análise de valores de tolerâncias, a complexidade do produto, número mínimo de componentes necessários, layout do produto dentre outros. DFM traduz a busca durante o projeto, em tornar mais fácil a manufatura dos componentes que formarão o produto depois de montado. Enquanto DFA tem por objetivo tornar a montagem do produto o menos custosa e mais otimizada possível.

Utilização

O DFMA pode ser utilizado na análise de produtos em manufatura. Neste caso o produto é desmontado e montado novamente dando ênfase a tempos e custos de manuseio (alimentação e orientação) e junção (inserção) de componentes. Os tempos e custos podem ser encontrados em tabelas, ou através da utilização de softwares específicos ou ainda por observações empíricas.

DFMA pode também ser usado durante o desenvolvimento de um produto, visando a otimização e adequação aos meios de montagem e inspeção.

Princípios do DFMA

Existem algumas regras de boa conduta sugeridos pelo DFMA:

  • Projetar para um número mínimo de componentes;
  • Projetar componentes para serem multifuncionais;
  • Utilizar componentes e processos padronizados;
  • Desenvolver uma abordagem de projeto Modular;
  • Utilizar uma montagem empilhada/Uni-direcional;
  • Facilitar alinhamento e inserção de todos os componentes;
  • Eliminar parafusos, molas, roldanas, chicotes de fios;
  • Eliminar ajustes;
  • Procurar padronizar materiais, acabamentos e componentes;
  • Ter sempre em mente as possibilidades de automação;
  • Utilizar e promover o trabalho em equipe.

Existe ainda uma medida da eficiência de um projeto, considerando sua montagem. Assim é calculado a partir de tabelas de tempos e custos, um índice que avalia a qualidade de seu projeto para montagem. Este índice relaciona o número teórico mínimo de todas as peças necessárias, com o tempo total para a montagem das peças. Isso multiplicado por 3, valor característico para um tempo médio padrão para uma montagem livre de embaraços.

Deve-se ressaltar a necessidade de avaliar bem a necessidade de um componente, devendo sempre procurar reduzir ao máximo o número de componentes do produto final. Para tal, pode-se fazer uso de três regras básicas para verificar a necessidade de determinado componente:

Deve-se então valer da possibilidade de integrar componentes quando possível, pois componentes integrados não precisam ser montados, e geralmente possuem menor custo de fabricação comparados com a soma dos custos das peças separadas.

Exemplos e Aplicações

A seguir segue alguns exemplos de aplicação do DFMA. Nas figuras seguintes, observa-se regras de projeto visando maximizar a facilidade da montagem, reduzindo assim seus custos. Na figura 1 temos a "montagem por cima", caracterizada pela inserção de todos os componentes de um conjunto de tal maneira que eles se encaixem um sobre o outro.

Figura 1 - Montagem dos componentes por cima.

E na figura 2 temos o "auto alinhamento", onde para facilitar o encaixe entre componentes é realizado desde perfis arredondados a chanfros

ou então furos guias.

Figura 2 - Montagem utilizando o auto-alinhamento.

Na figura 3 observamos a utilização de indicações para orientar a montagem de componentes assimétricos.

Figura 3 - Uso de indicações para facilitar a montagem em peças assimétricas

No caso de simétricos, como na figura 4, não existe essa necessidade

Figura 4 - Peças

simétricas em relação a suas possibilidades de montagem.

Livros

BOOTHROYD, G.; DEWHURST, P. (1988). Product design for manufacture and assembly. Manufacturing Engineering, p. 42-46, abril.

BRALLA, J. G. (1996). Design for excellence. New York: McGraw-Hill. ( Disponível na EESC - USP ).

BRALLA, J. G. (1986). Handbook of product design for manufacturing, McGraw-Hill, Inc., New York, NY, USA.( Disponível na EESC - USP ).

Sites Relacionados

DFMA - Design for Manufacture and Assembly Home Page by Boothroyd Dewhurst, Inc.

Palavras-chave: DFMA(Design for Manufaturing and Assembly)
Nó: 9447

Comentários

Log in ou crie uma conta de usuário para comentar.

        

 
 
Copyright © 2007 Portal de Conhecimentos